Ejaculação feminina X Ótima lubrificação

Baba baby, baby baba

Miga do céu, não confunda “bife ali na mesa” com “bife à milanesa”. Nem tudo o que sai da sua vagina é a mesma coisa. Eu já te expliquei o que acontece com o corpo da gente durante a excitação, o sexo em si e o orgasmo, lembra? Quando você sente aquelas palpitações nos pequenos e grandes lábios, é sinal de que o seu cérebro está agindo para te dar prazer. Ele manda uma enxurrada de sangue pra região, inchando cada uma das suas partezinhas íntimas e deixando-as hipersensíveis a qualquer estímulo. Lá dentro, o seu canal vaginal também se alonga e se alarga pra receber o pênis/vibrador/pepino (etc de acordo com a preferência do cliente).

 

Nesse momento lindo de viver, as paredes internas “suam”, produzindo a lubrificação natural que vai facilitar a penetração. Em algumas mulheres, esse fluido é beeem generoso, a ponto de escorrer de verdade. E não há nada de errado nisso – além de causar inveja nas inimigas, claro. Mas por que outras liberam quantidades tímidas e ralinhas? Uma série de fatores fisiológicos, como os hormônios, são responsáveis por essas diferenças. Por exemplo: a sua menstruação pode vir sempre com um fluxo digno de balde e durar uma semana, enquanto a sua amiga pinga meia dúzia de gotinhas por apenas dois dias.

 

Então, a lubrificação sai do canal vaginal e molha a vulva, ok? A cor, o odor e a consistência dela pode variar dependendo de várias coisas – época do ciclo menstrual, dieta alimentar, infecções… Em geral, ela desce transparente como uma clara de ovo. Se a secreção estiver mais densa e esbranquiçada/esverdeada/amarelada, um corrimento que independe do tesão e rola durante o dia, procure um(a) ginecologista. Há chances de ser candidíase, vaginose bacteriana e outras doenças (sem pânico porque elas são muito comuns e às vezes acontecem por um desequilíbrio da flora vaginal!).

 

Agora “prestenção”, fia. A ejaculação feminina não tem nada a ver com lubrificação. Nos sites pornô, o fenômeno é chamado de squirt (esguicho, em inglês) e tem uma galera com fetiche por isso. Só não caia na besteira de achar que qualquer mulher consegue fazer de sua vagina um chafariz – a maioria das atrizes costuma beber água antes de gravar as cenas e, na verdade, o que expelem é xixi. Acredita-se que apenas 3% das humanas do Planeta Terra venham dotadas de tal capacidade. “Ejacular” enquanto gozam. O assunto é bastante controverso entre especialistas e foi alvo de um monte de pesquisas científicas.

 

O que se sabe com certeza é que o líquido sai da uretra, o mesmo buraquinho por onde urinamos. Alguns apostam que as glândulas de Skene produzam esse jato incolor, meio aquoso e sem cheiro. Outros defendem que as mulheres que ejaculam, na realidade, sofrem de uma espécie de incontinência provocada pelas contrações do orgasmo. Sim, seria xixi mesmo. Geral afirma que é incontrolável (há até quem se incomode em umedecer os lençóis toda vez que transa). E nenhum cientista conseguiu provar se o prazer é mais intenso entre as “ejaculadoras”. Lubrificação ou squirt, melhor forrar a cama com umas toalhas…

 

Foi bom pra você? Comente: