O que você quer saber sobre sexo, mas morre de vergonha de perguntar…

Cinco leitores tiveram dúvidas respondidas pela Nath. Uma delas pode ser a sua também.

 

Dúvida Brian: Minha parceira adora fazer sexo oral em mim, mas não me deixa fazer nela porque tem muita vergonha. O que eu faço?

Brian, entendo que você queira proporcionar a ela o prazer que sente quando ela faz oral em você. O problema é que muitas mulheres acham suas vaginas feias e fedidas, por isso se constrangem com a ideia de alguém chegar tão perto delas a ponto de enfiar olhos/boca/nariz ali. Ao contrário de vocês, nós nascemos com o genital voltado para dentro, o que torna mais difícil enxergamos o tempo todo aquilo que está entre as nossas pernas. Vocês olham para o pau quando tiram a roupa, quando tomam banho, quando fazem xixi. Como a nossa vagina fica escondida, ela é meio um mistério, sabe? E muitas acham “nojento” porque ela fica abafada e úmida, confundem odor com fedor, não estão acostumadas a tocar nelas com a mesma naturalidade com que vocês fazem isso. Somos (e fomos na infância) bem reprimidas ao tentar explorá-la ou mesmo masturbá-la. Entenda que isso não tem nada a ver com você, mas com a imagem que a sua parceira tem do próprio corpo. Minha dica é que vocês tomem banho juntos (assim ela vai se sentir “limpa”), depois que você invista nas preliminares e vá chegando perto da virilha… daí diga como ela é cheirosa e que você nunca viu uma xoxota tão linda. Veja se ela fica mais à vontade. Se não ficar, converse com ela sobre o assunto, numa boa, depois do sexo. E respeite a possibilidade de ela não querer mesmo assim, ou de precisar ir com mais calma :) Tem uns cremes/géis à venda em sex shops que tem aroma e sabor variados… Pode ser um jeito de ela relaxar também!

 

 

Dúvida Renatinha: Namoro um cara, mas tenho vontade de ficar com meninas. Sou gay?

Rê, se você acordar com vontade de não comer carne, isso significa que você é vegetariana? Não necessariamente. Pode ser apenas uma curiosidade bissexual, uma vontade de “transgredir”, de ampliar o repertório amoroso e sexual. Muitas mulheres fantasiam com a ideia de beijar e acariciar outras, ficam excitadas ao assistir uma cena pornô lésbica, já desejaram ir além com uma amiga etc. Pode ser que você experimente e não curta. Ou curta, mas perceba que é só um lance aleatório mesmo. Ou, ainda, vai que você descobre que esse interesse é permanente e muito mais do que sexual – que o seu afeto se dirige com frequência para alguém do mesmo sexo? Nossa sexualidade é fluida e complexa demais para caber em rótulos do tipo “gay” ou “não-gay”. Agora, cá entre nós, você me parece preocupada com o rótulo – quando deveria se focar na busca do que te dá prazer e felicidade.

 

 

Dúvida Chelly: Quero fazer sexo anal, mas dói muito e travo na hora. Por que? E como faço para não “sujar” meu parceiro?

 Querida, em primeiro lugar, não faça nada apenas para agradar o seu parceiro. Se você realmente quer praticar anal, algumas explicações básicas. Eles piram no ânus porque a musculatura é mais apertada que a da vagina – essa pressão é bem gostosa para o pênis. O problema é que, quando você está tensa, contrai sem perceber os músculos do bumbum. Daí não entra nem cotonete. Se forçar, vai doer mesmo! É fundamental ir relaxando com a ideia da penetração naquele orifício. Numa transa qualquer, quando estiver quase gozando, peça para ele colocar um dedo. E por aí vai, aos poucos, considerando várias transas. Acostume o cérebro com o movimento de um “objeto estranho” entrando, em vez de saindo. Depois, quando quiser tentar com o pênis, fiquem de conchinha e besuntem tudo de lubrificante (a seco você pode provocar fissuras). Não é ele quem penetra, é você quem vai “dando ré” conforme se sentir à vontade. Enquanto isso, com o braço por cima de você, ele pode estimular o clitóris. Para iniciantes, a pior posição é a de quatro. Desde que você não esteja com intestino preso ou solto, mas em condições normais, basta usar uma duchinha higiênica (à venda em sex shop) para limpar tudo direitinho e não encanar com sujeirada. Leia esse post para ver mais dicas para um sexo anal sem dor.

 

 

Dúvida Willian: No sexo com minha parceira, eu chego ao orgasmo rápido e por várias vezes. Mas ela nada. Por que?

Ei, Willian. Os homens têm bem mais facilidade para chegar ao orgasmo do que as mulheres. Por vários motivos: vocês conhecem melhor o corpo (já que o pênis não fica voltado para dentro), se masturbam com frequência (nós, em geral, não temos o hábito por uma repressão cultural), conseguem se concentrar bastante na transa (nossa cabeça fica pensando em várias coisas ao mesmo tempo) etc. E quão rápido você goza? Veja se não é uma ejaculação precoce. Nesse caso, você devia procurar um urologista. Você também precisa entender que 70% das mulheres só conseguem gozar por meio do estímulo no clitóris – com dedo, língua, vibrador, esfrega-esfrega. Ou seja, se você estiver tentando só bate-estaca, não vai rolar mesmo. Conversem sobre o que ela curte, de que jeito prefere ser tocada, capriche nas preliminares…

 

Dúvida Bruno: O gozo feminino tem cheiro? Depois que uma mulher goza, o pênis a incomoda?

Bruno, vamos deixar clara a diferença entre lubrificação, orgasmo e ejaculação feminina. A esmagadora maioria das mulheres chega ao orgasmo (uma série de contrações rápidas e ritmadas) sem expelir nada. O “molhado” vem da lubrificação das paredes vaginais e pode ter um aspecto mais leitoso. As pesquisas indicam que menos de 3% das mulheres conseguem ejacular, liberando realmente um jato pela uretra capaz de encher até um copo. Alguns estudiosos defendem que a contração do orgasmo comprime a bexiga e é o próprio xixi que sai. Outros acreditam que o líquido seria produzido por umas glândulas. De qualquer forma, normalmente, esse “gozo” tem cor clara e sem cheiro forte. O corpo de cada mulher reage de um jeito durante e após o orgasmo. O clitóris, em geral, fica supersensível e elas podem preferir que o(a) parceiro(a) pare imediatamente com a fricção por ali. Mas, olha, se houver dor ou algum incômodo mais persistente com a penetração (em qualquer hora do sexo) é bom procurar um ginecologista!

Foi bom pra você? Comente: