Ponto P: próstata e prazer masculino.

Como derrubar o tabu do fio terra em cinco lições.

“Meu cu é via de mão única: nada entra, só sai”. É o discurso clichê de (quase) todo macho heterossexual. Daí o motivo de tamanho preconceito com a penetração anal – ainda que seja apenas por um dedo fino e feminino. Aqui um manual básico para desconstruir mitos e fazer com que você regule menos as pregas.

  1. Todo homem tem um ponto P – e é igual ao ponto G feminino?

Os pesquisadores em sexualidade ainda não chegaram num consenso sobre a existência dos pontos P masculino e G feminino. Muito menos se todos nós nascemos com um deles OU se apenas alguns tiveram sorte na loteria genética. Mas os massagistas tântricos garantem que sim, temos um botãozinho mágico da gozada transcendental. Não sei vocês, mas eu tô pedindo ajuda até do Waze pra encontrar o meu…

 

  1. Onde ele fica?

Na glândula da próstata: uma protuberância macia, menor que uma noz, em lugar mega-ultra-irrigado de terminações nervosas sensíveis na parede do reto (isso, o cu mesmo). Acredita-se que entre dois e quatro centímetros da entrada do ânus. Imagine um daqueles transferidores geométricos que você usava na aula de desenho geométrico. Imaginou? Tá. Então, o intestino ficaria aos 90 graus (uma linha reta em direção a sua garganta) e a próstata, a uns 50 graus, no sentido do pênis.

 

  1. Como se chega lá?

Pelo cu, amigo. Sorry, mas ainda não inventaram atalhos. Do contrário, “os ómi tudo” não morreriam de medo de realizar o exame de toque no urologista para prevenir câncer de próstata. Para alcançar o bendito, em primeiro lugar, certifique-se de que as unhas estão aparadas. Prepare o indicador como se fosse enfiá-lo na cobertura de um bolo. Besunte-o de lubrificante à base de água para escorregar sem incômodo e não provocar lesões. Introduza o dedo até a segunda falange, fazendo uma espécie de gancho, que já é suficiente. Ótimo se vocês se empolgarem e colocar até o punho, mas não precisa, tá? Voilá, pode ordenhar seu ponto P. Caso role um nojinho, basta comprar um plug anal ou um estimulador de próstata no sex shop – existem dezenas de formatos anatômicos e materiais com um gancho de segurança (vai que dá vácuo, né?).

 

  1. O orgasmo é mais intenso?

Cara, quem já experimentou garante que sim. O povo que vive enfiando dedo no cu alheio, como massagistas tântricos e garotas de programa, também. Pesquisando na internet, encontrei dados que apontam para orgasmos 400% mais intensos que o normal. E até CINCO MINUTOS de gozada. Tipo ir até Marte e voltar.

 

  1. Gostar de carícias no ânus é meio gay?

É só um fio terra, você não vai morrer eletrocutado. Um dedo no ânus não vai mudar em nada a sua orientação sexual nem questionar a sua masculinidade. Gostou e gozou? Isso que importa. Sabia que até o ator-comedor Charlie Sheen (do seriado “Two and a Half Men”) já declarou que adora a prática – babado: uma ex-namorada dele disse que andava com dor no dedo por causa disso. Se for tentar, tenha em mente que é fundamental estar relaxado e derrubar os próprios tabus. Porque qualquer sentimento negativo bloqueia o orgasmo. Apenas assimile a ideia de que está investigando outras zonas erógenas do seu corpo.

Agora conheça alguns dos melhores produtos que estão disponíveis no mercado.

toys

Foi bom pra você? Comente: